Ana e suas figuras

– (…) Podia me dizer, por favor, qual é o caminho que devo seguir?
– Isso depende do lugar para onde você quer ir, disse o Gato.
– Não tenho destino certo, disse Alice.
– Nesse caso não importa muito por onde você vá.
Lewis Carroll.

//

Ana está procurando o caminho que leva da ciência à arte, caminho de dois sentidos. E percorre estradas que não levam a lugar algum. Ana vê ao longe Alice acenando com seus coelhos mágicos e ansiosos. E, como Lewis Carrol, não quer deixar que escorra de suas mãos o significado dos gestos humanos.

Leia o artigo Diálogos sobre o tempo, de Ana Freitas e Mario Novello.